Segunda-feira, 17 de Outubro de 2011

F.A.M.I.L.Y.

Saí de casa à uma e meia da manhã.

Saí porque não conseguia dormir e não aguentava mais estar só, precisava de ouvir a voz de alguém e a tua já não é minha, já não falamos a uma voz.

Primeiro salvou-me a Inês, falou e deixou-me falar por muito tempo, até chegar a Marta e o António, que nos salvaram aos dois. Vão voltar para Huambo, nada mais os prende aqui, toda a família está lá.

Às cinco da manhã dá ainda mais que pensar, a Inês concorda, à medida que envelhecemos aprendemos que mesmo aquelas pessoas que nunca pensámos que nos pudessem magoar um dia o fazem, que iremos sofrer muitas vezes por isso e que doi mais a cada vez que volta a acontecer. Mais uma hora e todos concluimos que o nosso instincto básico não é o da sobrevivência mas o da família, que qualquer um de nós daria a vida por um filho ou um irmão, precisas do meu sangue, dos meus olhos, do meu coração? leva-os já.

Cheguei a casa e só pensava em encontrar a pulseira onde se lê F.A.M.I.L.Y. , iniciais de "Forget About Me, I Love You", ou "Não te preocupes comigo, eu amo-te". Adormeci com ela no pulso e ainda não a tirei, talvez nunca o faça, afinal não estou só, afinal o amor.

Agora tempo é tudo o que preciso para ser feliz.         


publicado por TOZÉ BRITO às 00:02
link do post | favorito
partilhar

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

arquivos

Junho 2012

Fevereiro 2012

Novembro 2011

Outubro 2011

Agosto 2011

Abril 2011

Março 2011

Janeiro 2011

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

tags

todas as tags

subscrever feeds